terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

TUA LUA NUA




A lua não é minha

Para rimar a lua

Ela tem que ser tua

Na rua em que caminhas



A lua não reflete minhas vestes

Para brincar com a lua

Deve-se estar nua

E pairar na abóbada celeste



Quieta, sozinha, verdadeira e crua

Iluminando por ser iluminada

Diz tudo silenciosa em suas fases de lua



Tudo está já delimitado:

Para que rime, nua te entrego a lua

Depois tudo estará findado.



Revolta!

Quero minha lua de volta.
Postar um comentário