quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Hoje


Hoje o dia me pertenceu, acordei porque quis. Fiz do meu dia não seguir nem mesmo o vento.Hoje eu fui mais eu, não precisei ditar e nem ouvir regras, nem colocar máscara alguma para ser normal, como todos os carneirinhos enfileirados. Hoje eu deixei a colina e fui para a floresta explorar. Não temi lobos e nem me envenenei com as plantinhas tenras e exóticas. Hoje carreguei meu filhotinho comigo, visitamos a velha árvore; tão sábia. Hoje dormimos ao relento, fora do horário pois o sono mais doce não cronometramos. Hoje a música mais linda que ouvi foi o som do riso da pequenina. Hoje eu tive um dia só pra mim e isto não tem preço. Deito agora esperando o despertador cedo, já sentindo a saudade do meu hoje que principia a ser ontem.
Postar um comentário