terça-feira, 18 de setembro de 2012

Gorjeio


O pássaro teimoso canta da gaiola feia
Asas cortadas para não voar
Alpiste
grades ante o olhar,
as minhocas risonhas assistem do chão
gatos gulosos esperam a hora da ceia
e ele tem saudades de enlevar-se ao ar...

O pássaro cerra os olhinhos
canta o ninho,
a árvore, o voo
o ar, o horizonte
inflando o peito
transcende sua alma de passarinho

O pedreiro para,
a diarista para
para o vento
Até o bebê cessa seu chôro
Ante a mãe que também para a ouvir o côro

A melodia viaja nas asas do ar
e por um instante até os desemplumados
voam com tais notas a soar

Postar um comentário