terça-feira, 6 de outubro de 2015

A canção de Pépinot







Voa aviãozinho de papel


Propulsiona-te do fundo deste lago
Rompe a tensão superficial
Das águas escuras

Fulgura,
Vê de cima
Além da cegueira estática
catedrática
Desta física bruta, constante
Ação, reação?
...
Voa no céu azul
E volta para mim
Desvia-te que há mar
E teu destino é voar

Hoje é sábado
Pépinot espera junto aos ferrolhos
Do portão acorrentado de siso

Traga tua música,
Manipula com dedos d’alma
As cordas que movem
A pequena marionete

E quando o metrônomo
Dois a dois
Constituir teu inteiro
Desata os nós

Teu origami
Quer traçar sozinho
A canção predestinada
A ser escrita nas asas do vento





Postar um comentário